A NOVA CARTOGRAFIA SOCIAL E O DESAFIO DE REPRESENTAÇÃO DO TERRITÓRIO FACE AO DISCURSO DO DESENTENDIMENTO

Jessica Maria Barros da Silva

Resumo


Partindo da discussão do modo como é construído os conceitos de território e espaço dentro do que se concebe como nova cartografia social, tento neste artigo relativizar as formas de representação do espaço pela via das concepções de Ranciere sobre desentendimento. Entendendo esse conceito enquanto uma via de mão dupla, que ao mesmo tempo em que obstaculariza a percepção de situações sociais pela cartografia diante do poder de coerção do Estado, possibilita ao mesmo tempo entender uma rede de relações introduzidas por uma economia que visa o desenvolvimento/desenvolvimentismo a partir da apropriação do espaço pelos agentes privados, colocando os agentes sociais presentes nos território, sob uma situação de conflito em seus próprios espaços, para isto, problematizo ainda as articulações apreendidas pelas estratégias empresariais que em sua maioria são legitimadas e endossadas também pelo Estado, quando este lhe compete interesse, mesmo que para isto possa se fazer por desentendido um terceiro grupo, representado pelos agentes sociais que se fazem presentes na área que será apropriada por esse capital.

Palavras chave: Agentes sociais, Conflito, Discurso, Estado.

 

ABSTRACT

Starting from the discussion of how it is built the territory of concepts and space within what is conceived as a new social mapping, try this article relativize forms of representation of space by means of Rancière's views on misunderstanding. Understanding this concept while a two-way street, at the same time obstaculariza the perception of social situations by mapping on the state coercive power, enables the same time understand a network of relations introduced by an economy aimed at developing / developmentalism from the appropriation of space by private agents, putting the social actors present in the territory in a conflict situation in their own spaces for this and questioning even the joints seized by the business strategies that are mostly legitimate and endorçadas also by State when it competes interests, even if for this may be done by quarreled a third group, represented by social agents that are present in the area that will be appropriate for that capital.

Keywords: social agents, Conflict, Speech, State.

 

RESUMEN

A partir de la discusión de cómo se construye el territorio de los conceptos y espacio dentro de lo que se concibe como un nuevo mapa social, trata este artículo relativizar las formas de representación del espacio por medio de puntos de vista de Rancière sobre malentendido. La comprensión de este concepto, mientras que una vía de doble sentido, al mismo tiempo, obstaculariza la percepción de las situaciones sociales mediante mapeo en el poder coercitivo del Estado, permite al mismo tiempo comprender una red de relaciones introducidos por una economía dirigida a desarrollar / desarrollismo de la apropiación del espacio por parte de agentes privados, poniendo los actores sociales presentes en el territorio en una situación de conflicto en sus propios espacios de esta y cuestionando incluso las articulaciones incautados por las estrategias de negocio que en su mayoría son legítimos y también por endorçadas Estado cuando compite intereses, incluso si para esto puede ser hecho por un tercer grupo reñido, representada por los agentes sociales que están presentes en el área que será apropiado para que el capital.
Palabras clave: agentes sociales, Conflicto, Discurso, Estado


Texto completo:

PDF